Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Bodas de Ouro dos meus avós

por Patrícia Sofia Ferreira, em 05.10.12

As bodas de ouro são sempre um marco importante na vida de um casal e de uma família. Por isso, tirei várias fotos para recordar.

Não vou aqui incluir fotos dos meus avós nem das restantes pessoas que compareceram a esta celebração, mas a alguns detalhes que me despertaram a atenção, decoração e também uma brincadeirinha com os bonecos que estavam no bolo. Qual é a vossa favorita?

Duas garrafas de vinho em forma de bonecos oferecido aos meus avós
Uma bebida bastante fotogénica

publicado às 00:00

Minha opinião sobre as praxes académicas

por Patrícia Sofia Ferreira, em 02.10.12
Imagem retirada daqui

Mesmo antes de começar as praxes na universidade eu andava toda entusiasmada com elas. Mas no primeiro dia de praxes acabei por não conseguir ir devido às matrículas (estive umas 8h à espera da minha vez). No dia seguinte não sabia para onde tinha de me dirigir, por isso falei com umas colegas que andam no mesmo curso que eu. Quando elas me dizem que aquilo é horrível e que só serve para humilhar eu fiquei aterrorizada. Eu a pensar que era só pintar a cara, as unhas, sujar o cabelo... pronto, as coisas básicas e que eu não me importava que me fosse feito. Mas daí até fingir orgasmos à frente de multidões vai um bom bocado.

Tirei a ideia de ir às praxes da minha cabeça e ainda fiquei com menos disposição para ir quando tive um desentendimento com duas superiores. Foi mais ou menos assim:

1ª grão-mestre: És de ciências da comunicação?

Eu: Sim.

1ª: E tens ido às praxes?

Eu: Não.

1ª: E queres ser praxada?

Eu: (...) Não sei. Mas se é para humilhar não.

1ª: Nós não humilhamos, apenas integramos.

Eu: Mas não é o que eu tenho ouvido dizer...

(chega a 2ª e a 1ª conta a minha situação)

2ª: (voz de quem é a maior) Ouve lá, mas as praxes também servem para humilhar ou pensas o quê?

Eu: o.O

1ª: Sabes que se não fores às praxes não vais poder trajar...

Eu: Ai posso, posso.

1ª: Sim, podes... mas não vais poder usar estrela nem pin.

Eu: E o que isso me interessa?

1ª: Não vais poder praxar.

Eu: E para é que eu preciso disso?!

2ª: Pronto... tu lá sabes. Também não queremos lá pessoas de má vontade. Só vens se quiseres.

 

Esta conversa deixou-me mesmo zangada. Acabaram por se contradizer uma à outra e tentaram fazer passar-me por burra.

Até posso mudar de ideias ou arrepender-me de não ter ido às praxes, pois acredito que se façam muitas amizades por lá e que os superiores ajudem os caloiros, ao nível das cadeiras, entre outras coisas, mas esta conversa irá ficar sempre na minha memória.

E acreditem que a esmagadora maioria dos caloiros vão às praxes porque querem trajar no futuro... o que é uma valente treta. Traja-se independentemente de se ir às praxes ou não!

Não sou anti-praxe, mas sou anti-abusos. As praxes servem para integrar os novos estudantes, não para os humilhar!

Não quero com este post ofender ninguém nem impedir a ida às praxes aos caloiros. É só a minha opinião. Cada um tem a sua experiência e cada um a interpreta de maneiras diferentes.

 

Qual é a vossa opinião sobre este assunto?

publicado às 00:00

Pág. 3/3




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D